No dia 14 de Março de 1969 a cidade de São José da Laje veio abaixo. Uma enchente no Rio Canhoto ultrapassou seus limites e, invadindo ruas e vielas, causou mais de mil mortos, derrubando centenas de residências e prédios comerciais e até hoje é uma tragédia inesquecível.

Enchente de 1969

A população já adormecera, pela noite houve a festa do Padroeiro São José, e todos foram colhidos de surpresa pela violência das águas que destruía toda cidade. O rio canhoto virou mar e quase sepultou a cidade. A tragédia, um dos maiores desastres naturais já ocorridos no planeta, foi notícia no mundo inteiro

Os que contam a tragédia dizem que se ouviu um pavoroso rugido, como o de um animal feroz se libertando. Os gritos se ouviram imediatamente, mas a tragédia tinha se iniciado e era impossível detê-la. Primeiro um rugido, como uma fera se libertando. Depois as águas foram tomando conta da cidade, levando homens, mulheres, crianças, destruindo o que houvesse. São José da Laje tornou-se ruína. (Revista O CRUZEIRO, 27/03/1969).

 

O filho de Severino Francisco de Araújo acordou chorando à 0h45min da madrugada. Este simples contratempo fez com que Severino, comerciante de São José da Laje, fosse a única pessoa a saber a hora exata em que começou a inundação. Severino também foi o primeiro a ouvir os gritos de uma mulher, que corria pelas ruas, assustada, alertando os vizinhos:

– O rio transbordou, vamos todos morrer afogados.

Tudo aconteceu numa rapidez incrível. O vigário correu para tocar os sinos da igreja, mas já era tarde demais: a cidade estava desperta, desarvorada com os postes que caíam e as casas que desabavam. (Revista Fatos & Fotos,03/04/1969)

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here